Obesidade e a genética

Fatores genéticos podem contribuir para a Obesidade.
Estudos comprovam que quanto mais cedo for identificada uma predisposição genética para obesidade, melhor e mais rápido será o tratamento preventivo.

No mundo o fator genético contribui entre 25 a 40% para a obesidade.

 
Os genes da obesidade podem exercer os seus efeitos alterando os gastos energéticos do organismo, o apetite ou a forma como o organismo processa os nutrientes dos alimentos.

Estudos demonstram a probabilidade dos filhos apresentarem algum tipo obesidade, quando:
     
  • 7% dos filhos podem chegar à obesidade mesmo quando os pais tem peso normal;
  • 40% dos filhos podem ficar obesos quando o Pai ou a Mãe for obeso;
  • 80% dos filhos podem ficar obesos quando ambos os Pais forem obesos.

Para avaliar se existe alguma predisposição à obesidade de origem genética, procure um médico especialista em obesidade, de preferência com uma equipe multidisciplinar que poderá orientá-lo, avaliando seu perfil metabólico, hábitos alimentares e realizar um estudo genético.